Páginas

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Criador do Linux tira licença e pede desculpas por comportamento

O criador do sistema de código aberto Linux, Linus Torvalds, resolveu tirar uma licença temporária, conforme revelou em um longo e-mail enviado à comunidade da plataforma no domingo, 16/9. As informações são da CNBC.

Na mensagem em questão, aponta a rede americana, Torvalds pede desculpas pelo seu comportamento, que definiu como "não profissional e desnecessário", e diz que irá se afastar temporariamente para procurar ajuda.

“Preciso mudar parte do meu comportamento, e quero me desculpar com as pessoas que o meu comportamento pessoal possa ter machucado e possivelmente afastado totalmente do desenvolvimento do kernel”, afirmou.

Em outro trecho do e-mail, o criador do Linux diz que irá procurar por assistência durante esse período de licença. “Vou tirar um tempo de licença e buscar alguma ajuda sobre como compreender as emoções das pessoas e responder de forma apropriada.”

Por fim, Torvalds deixa claro que não quer se afastar da plataforma open-source. “Esse não é o tipo de coisa ‘Estou exausto, apenas preciso ir embora’. Não estou sentindo que não quero continuar mantendo o Linux. Totalmente o contrário. Eu realmente quero continuar fazendo esse projeto em que venho trabalhando há quase três décadas.”

Uber testa estimativas de trânsito com base em informações próprias

Não faz muito tempo que o Uber passou a utilizar um valor fixo para as corridas, levando em conta a previsão de trânsito entre o início da viagem e seu destino. A empresa sempre utilizou dados coletados pelo Google para isso, mas agora está trabalhando com fontes próprias e que vem de dados dos próprios motoristas, dentro de um projeto chamado Uber Moviment.


Com o novo método, o Uber utilizará dados coletados dos celulares dos parceiros que utilizam a plataforma para saber se há, ou não, trânsito na região. Além disso, a média do horário também será levada em conta, como a certeza de mais trânsito nos horários de pico, contra ruas menos congestionadas fora deste período do dia.

Para deixar esta informação mais transparente, já está em teste um traçado provável de rota que exibe cores que variam de acordo com o trânsito, de forma bastante semelhante ao que o Google Mapas faz. Passar estes dados ao usuário tem como objetivo deixar bem claro o motivo do valor mais alto que será cobrado, além de dar oportunidade para que outro método de transporte possa ser levado em conta – como alugar uma bike, pegar um ônibus ou ir de metrô.

O novo método pode ser interessante, mas o Google já tem essa informação de todos os motoristas que utilizam um Android, por exemplo – o que certamente oferece maior precisão de que o trânsito existe mesmo. A diferença é que com dados coletados dentro da prórpria empresa, o Uber não precisa depender de terceiros para isso.