Páginas

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Game Homefront previu a morte do ditador Kim Jong-Il


A vida imita mesmo a arte. O game Homefront, lançado em março deste ano, mostra uma invasão dos Estados Unidos pela Coreia do Norte, tendo a morte do ditador Kim Jong-Il como estopim para uma série de ataques. No jogo, a morte do líder acontece em uma data indefinida no início de 2012, causada por um derrame. No mundo real, de acordo com autoridades norte-coreanas, ele morreu no último dia 17 de dezembro.
Recorte de jornal em Homefront (Foto: Reprodução)
Por uma margem de erro de duas semanas, quase tivemos umas das coincidências mais estranhas dos videogames nos últimos anos. Desenvolvido pelos Kaos Studios, o polêmico, mas irregular, jogo de tiro em primeira pessoa foi escrito por John Milius, que co-escreveu o roteiro do filme Apocalypse Now, e escreveu e dirigiu Amanhecer Violento, que também fala sobre comunistas invadindo os Estados Unidos.
Kim Jong-Il estava no poder desde 1994 e morreu de ataque cardíaco durante uma viagem de trem. Quem deve assumir o cargo é o seu terceiro filho, Kim Jong-Un. Curiosamente, quem sucede o líder no game é também Jong-Un, que em uma grande ação militar unifica as duas Coreias, toma (e anexa) o Japão e parte do sudeste da Ásia. Até o ano de 2027 consegue invadir o Havaí e a parte continental dos Estados Unidos.
Será que Homefront inclui mais detalhes sobre o que veremos nos próximos anos? O jogo foi lançado para PlayStation 3Xbox 360 e PCs, e não é tarde para conhecê-lo. Sua sequência já foi anunciada.

0 comentários: