Páginas

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Presidente da Argentina tem câncer na tireoide, anuncia a Casa Rosada

A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, tem câncer na tireoide e será submetida a uma cirurgia no dia 4 de janeiro, informou o porta-voz do governo nesta terça-feira (27).

"Foi detectada a existência de um carcinoma papilar no lobo direito da glândula da tireoide", disse o porta-voz presidencial Alfredo Scoccimarro.

Ele acrescentou que "se constatou a ausência de compromissos nos gânglios linfáticos e a inexistência de metástase", o que significa que não se espalhou.

A intervenção cirúrgica requer 72 horas de internação e 20 dias de recuperação.



A presidente vai ficar licenciada 20 dias, até 24 de janeiro, período em que vai exercer a Presidência o vice Amado Boudou, completou o porta-voz.
A operação será realizada pelo doutor Pedro Saco, chefe do departamento de Cirurgia do Hospital Austral e do Serviço de Cabeça e Colo do Instituto de Oncologia 'Dr. Angel H. Roffo', da Universidade de Buenos Aires.

"Se for tudo assim como o comunicado oficial, não deve ter outro problema. A doença está localizada", disse o oncologista Mario Bruno ao canal de televisão TN.
A presidente manterá sua agenda normal nesta quarta-feira, e receberá pela manhã, na Casa Rosada, os governadores das províncias. Mais tarde, no Salão Branco, presidirá a cerimônia de entrega de insígnias aos oficiais superiores do Exército, Marinha e Força Aérea, revelou o porta-voz.
Kirchner, 58 anos, vinha sofrendo de quadros de hipotensão, que a obrigavam a suspender, por breves períodos, as atividades oficiais. A última crise ocorreu no dia 11 de outubro passado, 12 dias antes das eleições presidenciais.

Em abril passado, Kirchner ficou 48 horas de repouso pelo mesmo problema, e precisou adiar uma visita oficial ao México.
Cristina, de 58 anos, foi reeleita em outubro com 54% dos votos para um segundo mandato.
Seu marido e antecessor, Néstor Kirchner, morreu no dia 27 de outubro de 2010, aos 60 anos, vítima de um ataque cardíaco.

0 comentários: