Páginas

segunda-feira, 4 de junho de 2012

E-reader Nook 'censura' palavra que dá nome ao rival em livro de Tolstói


Que a tradução é uma arte, possivelmente tão complexa quanto a própria criação, ninguém duvida. Mas uma saia justa na disputa entre Kindle e Nook, e-readers de Amazon e Barnes & Noble, respectivamente, levou a tradução a um novo nível: o da piada. Em uma das versões em inglês do clássico universal "Guerra e Paz", do russo Lev Tolstoi, a palavra "kindle" (que significa iniciar uma chama, uma combustão) foi sumariamente trocada pela palavra "nook", transformando trechos do livro em chacota.
Palavra Kindle é censurada na versão para Nook de 'Guerra e Paz (Foto: Reprodução)Palavra Kindle é censurada na versão para Nook de 'Guerra e Paz (Foto: Reprodução)
A descoberta foi feita aleatoriamente por Philip Howard, autor do blog Ocracoke Island Journal, após comprar uma das traduções baratas disponíveis na loja virtual da Barnes & Noble. "Eu estava quase chegando na metade do livro quando recebi esse 'presente'", conta Howard.
Leo Tolstoi, autor de Guerra e Paz, clássico da literatura (Foto: Divulgação)Leo Tolstoi, autor de Guerra e Paz(Foto: Divulgação)
Na primeira vez em que o blogueiro topou com a palavra "Nookd", decidiu ignorar. Afinal, poderia ser apenas uma coincidência. Mas aí vieram a segunda e a terceira "coincidências". "Foi aí que resolvi pegar meu livro físico e comparar os textos. Para minha surpresa, notei que a palavra utilizada era 'kindle'". Ou seja, todas as ocorrências da palavra que dá nome ao leitor rival foram sumariamente trocadas.
"No início, achei hilário. Depois, ofensivas. Em seguida, ambas. Alguém na Barnes and Noble, um empregado de 20 anos ou o CEO, substituiu todas as palavras 'kindled' por 'nookd', conta ele, ainda surpreso.
O e-book comprado por Howard não é "oficial", editado pela fabricante do Nook. Trata-se de uma tradução disponibilizada pela Superior Formatting Publishing que, ao que parece, apenas converteu a versão para o e-reader da Amazon. Por alguma razão, alguém na empresa parece ter dado um "localizar e substituir" aleatoriamente, não contando que a palavra havia sido utilizada algumas dezenas de vezes pelo tradutor de Tolstói.
Palavra Kindle é censurada na versão para Nook de 'Guerra e Paz' (Foto: Reprodução)Palavra censurada (Reprodução)
Rapidamente, o bizarro erro ganhou o mundo, criando um grande embaraço tanto para a Barnes and Noble quanto para a Superior Formatting Publishing, que ainda não se pronunciaram sobre o caso.
Ainda que nenhuma das duas companhias tenha tido a intenção de suprimir o nome do rival - motivadas por uma disputa comercial -, o caso não deixa de ser um alerta em dobro: para os leitores, que podem estar sendo vítimas de sutis manipulações ou de grotestos erros; e para os editores, que devem lembrar sempre de evitar tomar o caminho mais curto, sob pena de virarem o próximo meme da estação.
Mas, afinal, como diria Tolstói, "compreender tudo é tudo perdoar".

0 comentários: