Páginas

terça-feira, 17 de julho de 2012

Wall Street está apreensiva com produção de hardware do Google

Page, 39, um cofundador do Google, voltou ao cargo de presidente-executivo em abril de 2011 e rapidamente redefiniu as prioridades da empresa. Foto: AFP
Page, 39, um cofundador do Google, voltou ao cargo de presidente-executivo em abril de 2011 e rapidamente redefiniu as prioridades da empresa

Investidores têm um caso de amor de longa data com o Google, a ferramenta de busca. Mas eles se sentirão da mesma maneira em relação ao Google, o fabricante de hardware?
O Google divulgará seus resultados trimestrais pela primeira vez desde a conclusão da aquisição da fabricante de smartphones Motorola, avaliada em US$ 12,5 bilhões, em maio.
A compra da Motorola, além da contínua incerteza sobre a economia mundial, significa que o Google subitamente se tornará muito menos conhecido, e menos previsível, aos olhos de investidores - um fato que será destacado nos resultados relativos ao segundo trimestre fiscal da empresa.
"Este é o primeiro trimestre em que a Motorola se consolidará nos resultados do Google, e será uma bagunça", disse o analista Colin Gillis, do BGC Partners.
A ausência do presidente-executivo Larry Page aos olhos do público, devido a uma doença não especificada que fez com que ele tenha "perdido sua voz", não ajudou a inflar a confiança de investidores enquanto a empresa enfrenta um momento crítico.
A ação do Google teve desvalorização de aproximadamente 14% desde sua máxima em 52 semanas de US$ 670,25.
O Google é uma "história de execução, e é por isso que é tão decepcionante que Larry tem uma doenção não definida", disse Gillis. "Ele apontou a empresa nesta direção, e isso não pode ser desfeito... Se ele fica doente e não consegue se dedicar tanto a esse processo quanto gostaria, é um risco".
Page, 39, um cofundador do Google, voltou ao cargo de presidente-executivo em abril de 2011 e rapidamente redefiniu as prioridades da empresa, abandonando produtos de performance ruim, lançando a rede social Google+ para desafiar o Facebook e comprando a Motorola, maior aquisição na história do Google.

0 comentários: