Páginas

terça-feira, 26 de abril de 2016

Nova versão do Opera traz VPN gratuita embutida no navegador


Após lançar uma versão do seu navegador com bloqueio de publicidade, o Opera agora vem com mais uma de impacto. Nesta semana a empresa lançou um serviço de VPN (rede privada virtual) gratuito embutido diretamente no seu beta mais recente, a edição para desenvolvedores 38.0.2204.0 para Mac e PC.

O Opera também não quer que os usuários paguem pela quantidade de largura de banda que você “passar” pela VPN – o que normalmente te custaria em torno de 50 dólares por ano.

Uma VPN de verdade “maqueia” seu endereço de IP, fingindo que seu PC está localizado fisicamente em Londres, por exemplo, quando na verdade está no seu apartamento em São Paulo. Isso oferece todos os tipos de possibilidades: te permite esconder sua identidade ao navegar pela web, ou acessar um site que você normalmente não poderia ver. As VPNs também são comuns em países como a China, em que a Internet local fica isolada do resto do mundo.

É óbvio que uma VPN também pode permitir atividades ilícitas. Por anos, usuários do mundo todo usaram VPNs para assistir a conteúdos no Netflix não disponíveis nos seus países – algo que o Netflix vem combatendo de forma cada vez mais forte recentemente. E, é claro, as pessoas também usam VPNs para se esconder das autoridades ao baixar arquivos via BitTorrent, por exemplo.

Por que isso importa

VPN gratuita e ilimitada é um golpe e tanto do Opera. Mas há duas questões importantes que a empresa precisará responder. Primeiro: quais são os termos de serviço da VPN e a política de uso aceitável? Os serviços “ilimitados” raramente são ilimitados de verdade. Segundo: como será o desempenho da VPN (e do navegador) com uma carga grande de uso?

Sem surpresa 

A VPN integrada ao navegador talvez não seja uma surpresa para quem vem acompanhando a Opera há algum tempo. Há cerca de um ano a empresa comprou a SurfEasy, uma provedora canadense de VPN cuja rede estaria sendo usada pelo Opera para os seus novos serviços.

0 comentários: